Salas do Sertão

Description

Salas do Sertão
A luz que emana da caixa televisiva define o lugar central do objeto nesta série realizada por Maurício Pisani no interior da Bahia em 2011. Mais do que questionar o lugar preponderante da televisão como única fonte de “informação”, lazer e “conteúdo cultural”, realidade em parte significativa dos lares brasileiros, as imagens apontam também para uma outra centralidade do objeto – de ordem material, estética e simbólica: sua presença organiza e distribui, ilumina e preenche o espaço convivial.

O núcleo privado das salas de estar pode parecer tão familiar quanto distante. Os matizes de cor e a presença recorrente de determinados elementos – cortinas, flores de plástico, imagens religiosas – sugerem um padrão estético que poderia configurar uma tipologia de casas populares do sertão baiano. O privado aqui retratado sugere-nos, ademais, usos e percursos de seus habitantes e da região. Não os vemos, mas
podemos imaginá-los: a paisagem natural e humana para além do frame, a passagem da sala à rua, a noite quente, um céu limpo, uma terra avermelhada. Contrastes e cores já anunciados no interior das salas guiam-nos para um outro lugar, o lugar do outro.

A forma e o conteúdo abordados na série remetem a temas cruciais para o fotógrafo,formado em Relações Internacionais: espaço, território, identidade, fronteira, em suas múltiplas possibilidades. O espaço privado ou público, a identidade que nos aproxima ou diferencia, o território ao qual pertencemos ou que exploramos, as fronteiras que nos separam ou interpelam. O estranhamento e a aproximação que despertam tais imagens indicam a existência de diferenças físicas e simbólicas entre o fotógrafo, a paisagem social que ele registra e a percepção do espectador.

As lentes do artista adentram espaços íntimos despindo territórios que nos são alheios. Elas nos oferecem aqui uma breve viagem pelos interiores de Salas do Sertão, espaços não mais privados no imaginário de quem vê.

Ana Letícia Fialho & Camila Fialho